O mundo é bom!

Maternal e Jardim

No Jardim Rumo do Girassol, as crianças estão agrupadas em 2 turmas:

Maternal: 18 meses a 3 anos

Jardim de Infância: 3 a 6 anos

Na pedagogia Waldorf o 1º setênio (período do nascimento aos 7 anos) tem uma importância fundamental no desenvolvimento do ser humano, lançando as bases para toda a sua vida adulta futura.

Oferecemos assim, um ambiente digno do aprendizado pela imitação, tão forte nesta idade. Como um grupo familiar, em que convivem irmãos, primos e amigos com uma pequena diferença de idade, as crianças convivem e brincam. Em alguns momentos os dois grupos (Maternal e Jardim) também se encontram. Esta dinâmica permite a troca natural de experiência entre adultos e crianças mais novas e mais velhas. As crianças maiores desenvolvem uma postura de carinho, cuidado e respeito para com os menores e estes, além de se sentirem mais protegidos, observam os mais velhos, aprendendo naturalmente a brincar e realizar diversas tarefas cotidianas.

Nesta primeira etapa da educação as atividades oferecidas buscam desenvolver os sentidos de maneira verdadeira e instigar a percepção, a imaginação, a ação e a transformação.

Observamos e brincamos com os elementos da natureza (ar, água, terra e fogo), passamos bastante tempo no quintal e os materiais pedagógicos são sempre naturais (brinquedos de madeira, tecido, lã de carneiro, giz e massinha de cera de abelha e tintas com pigmentos naturais).

O ano letivo é dividido em épocas, unidades de 3 a 4 semanas, que acompanham as estações do ano e as quatro festas anuais correspondentes. Assim, com um ritmo diário bem equilibado, a criança vai desenvolvendo com segurança o sentido de tempo, da preparação à realização.

E depois dos 6 anos?

Temos parceria com a Escola Waldorf Berta e Emil Molt (Ensino Fundamental)

Ritmo Diário

Se observarmos à nossa volta, principalmente na natureza, podemos ver que tudo tem um ritmo: dia e noite, dias da semana, estações do ano, as frutas que nascem em determinadas épocas… Assim também, na Escola Waldorf, as atividades do dia seguem um ritmo saudável, alternando expansão e concentração, atividade e repouso, acompanhando o ritmo de nossa respiração.

O ritmo na vida de uma criança se instala a partir do momento que há uma repetição. Acordar mais ou menos na mesma hora, trocar de roupa, ir ao banheiro, arrumar a cama, tomar o café, escovar os dentes e sair de casa. O que para nós pode ser uma completa monotonia, para as crianças é segurança e calma. Essa constância é fundamental para a sua saúde física e psíquica – e ajuda ainda a combater um mal que tem afetado muitas de nossas crianças no mundo contemporâneo: a ansiedade.

O Ritmo na nossa escola:

• Acolhida: início do período – brincar livre dentro da sala.

• Atividade pedagógica: depois de arrumar a sala, a cada dia da semana, uma atividade especial: desenho livre, fazer pão, pintura a dedo ou aquarela, música, trabalhos manuais ou euritmia (atividade de movimento, em conexão com a linguagem e a música).

• Roda rítmica: uma oportunidade de vivenciar, através de imagens, poemas e canções, o conteúdo das épocas do ano, com movimento, dança, gestualidade e fala.

• Lanche

• Brincadeira de quintal: tempo e espaço para brincar fora da sala, na areia, terra ou grama, experimentar o corpo e seus desafios: correr, pendurar-se, balançar, subir, pular, equilibrar-se. É a oportunidade também de ajudar na jardinagem, observar a natureza e colher seus frutos.

• Encerramento do período: depois de muita brincadeira no quintal, entramos para nos arrumar, escutar uma história e encerrar o período do dia (manhã ou tarde).

• Almoço opcional

• Soninho: para as crianças que permanecem no período integral ou intermediário, oferecemos após o almoço um ambiente tranquilo e acolhedor para seu descanso, tão importante nesta fase da vida.

Alimentação

O momento das refeições em nossa escola é mais uma oportunidade de aprendizado. Em alguns dias da semana as crianças participam da preparação do lanche (fazendo pão ou biscoitos, os mais velhos cortando frutas ou legumes, por exemplo) – e são incentivadas a contribuir na distribuição dos pratos e da comida. Professoras e auxiliares se alimentam junto com as crianças e, por observação e imitação, elas vão aprendendo a utilizar os talheres, experimentar novos sabores e honrar o alimento.

Usamos ingredientes naturais, cereais integrais e recitamos versos de gratidão à natureza e a todos os que, de alguma forma, contribuíram para que o alimento chegasse até a nossa mesa.

“Terra que esses frutos deu
Sol que os amadureceu
Homem que os cultivou
Nobre Terra, Nobre Sol e Nobre Homem
Nossa Gratidão
Bom apetite para todos nós”.

Celebrações

Nas escolas Waldorf não se celebram datas comerciais. Todas as festas são momentos para interiorização de significados verdadeiros, profundos, relacionados às tradições culturais e passagens das estações do ano. Este conteúdo não é transmitido às crianças de forma literal, mas sim em imagens, a partir das vivências que cada celebração proporciona.

As chamadas Festas Cristãs remetem a celebrações muitos antigas, que pautavam e organizavam toda a vida humana. Ganharam com o tempo, novos significados espirituais universais, que procuramos cultuar sem referências a nenhuma religião específica. Elas formam o Ciclo das Festas Anuais, um grande ritmo anual que vai do lento inspirar (outono e inverno) ao lento expirar (primavera e verão). Estas tendências da natureza acompanham a vida interior do ser humano, como uma maior disposição para o exterior ou para o interior.

Podemos assim, com a consciência dos adultos, favorecer um bom ritmo interno e externo para as crianças pequenas, que, quanto mais próximas do movimento da Natureza, mais sadias crescerão – lembrando ainda que enquanto estamos no Outono aqui no hemisfério sul, no norte acontece a Primavera. Então a Terra vive ao mesmo tempo as polaridades, fazendo um movimento de inspiração e expiração.

Páscoa

Celebra o fim do verão e início do outono, uma época de passagem, de transformação. A morte é tratada como fim de um ciclo e início de outro, de outra possibilidade, outro modo de vida, transformação por si próprio. Estes conteúdos são trazidos às crianças em histórias como a da lagarta, que se fecha em seu casulo para depois retornar à vida como borboleta; ou o ovo, que encerra dentro de si a possibilidade de uma nova vida ao romper-se por força própria.

Festa da Lanterna

Uma festa noturna de saudação ao inverno. Os pais encenam a história “A menina da lanterna” para as crianças e estas passeiam pela escola carregando lindas lanternas confeccionadas por elas, cantando canções da época. O ritual remete ao significado do inverno: interiorização para a busca da própria luz.

São João

Festa dedicada a São João Batista, com cantigas tradicionais brasileiras, jogos, brincadeiras e a fogueira – que representa o movimento da sabedoria capaz de iluminar o pensamento, aquecendo o coração (essência da mensagem de São João).

São Micael

Comemorado na passagem do inverno para a primavera, momento de retomarmos o movimento de nosso interior para a vida exterior, de atuar firmemente em direção aos nossos ideais e objetivos. As atividades, brincadeiras e histórias desta época buscam a vivência da coragem e do equilíbrio. Assim como nas histórias de Micael, em que ele domina o dragão, mas não o mata, podemos cultivar junto às crianças, através de desafios, a força para superação das dificuldades e limitações.

Natal – Festa de São Nicolau

É a celebração da entrada do verão, o auge do movimento em direção ao mundo exterior, época de atuar em direção ao novo, ao futuro. As crianças vivenciam a montagem do presépio, confeccionam botinhas de pano, ouvem a história de São Nicolau e recebem singelos presentes (pão de mel, maçãs, frutas secas, pedrinhas e elementos da Natureza). Assim, encerramos o ano com um teatro que os pais e mães apresentam às crianças e uma confraternização de toda a escola.

Bazar anual

O Bazar é uma festa de toda a comunidade escolar, preparada durante todo o ano, através de encontros periódicos em que promovemos oficinas de trabalhos manuais e atividades artísticas. Os pais e mães são convidados a produzir brinquedos e artefatos em madeira, tecido e lã. No mês de novembro a escola se abre um dia para receber a comunidade e promove uma exposição pedagógica e a venda desses produtos. A exposição é uma oportunidade para todos os que têm interesse em conhecer a pedagogia Waldorf.